Citação

"A felicidade não lhe é proporcionada por ninguém.
Ela encontra-se somente no próprio esforço
Em revelar o tesouro das profundezas de sua vida, e
se poli-lo cuidadosamente,
Desenvolverá a coragem e a esperança,
Ao longo do caminho."

Pensamento budista - Referência: Sandro Ribeiro


quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Enfim, o espírito natalino!


Demorou um pouco, chegou e se instalou... 'é que os momentos felizes tinham deixado raízes no seu viver...' (Música: Regra 3')
Impossível ir ao centro de convivência cultural da minha cidade e não vibrar! Que decoração... toda em material reciclável! Brilha... brilha...
Clique na foto para ir ao site da Prefeitura de Campinas - foto protegida por direitos autorais - Valéria Abras

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Está chegando o Natal

Fico observando meu longo silêncio às vésperas do Natal...Como diria meu pai, simplesmente, 'urubuservando'...
É uma festa tão linda, mas nos recônditos das memórias, falta muita gente para o baile ser completo! Fernando Pessoa escreveu a frase que acompanha a mim e a outras pessoas sem asas:''Pobre velha casa da minha infância querida... quem diria que eu me desacolhesse tanto...'

domingo, 9 de novembro de 2008

Mamma Mia








'Mamma Mia' digo eu... Acho engraçado quando americano+inglês resolvem fazer um musical com um título tão italiano!... Agora,sem sombra de dúvida ver Meryl e Pierce juntos... é um deslumbre. A capacidade aeróbica dos dois mostra que envelhecer pode e deve ser sinônimo de alegria... até comecei a dançar de novo! Não vi e não vou perder!
Notícias gerais

Oficial

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Nossos pressentimentos - para o Dante luiz

Encontrei um texto espiritualista sobre Pressentimentos




Como fiz este blog por causa de uma perda difícil, quis postar mais sobre isto, pois tem a ver com o assunto e comigo mesma.




Meu mano Loirinho

Agora que a labareda se desprendeu da minha alma e a dor se tornou minha companheira
amiga, tenho refletido mais acerca da espiritualidade maior, nestes planos nos quais estamos.
Também sei que não há pendências, embora sinta o remorso de não ter querido ouvir algumas coisas, hoje sei que eu não tinha 'alcance'.
Não fiquei perto de você nos últimos momentos, isto sim ainda dói e muito.
Se eu pudesse teria carregado todas as suas dores em vida, e teria ido no seu lugar.
Hoje tenho certeza que seu espírito estava se preparando há pelo menos uns dois anos para a separação. Relembro nossas conversas, estranhas para não espíritas, certamente no mínimo 'diálogos esquizofrênicos'.
Houve momentos neste ano que esbravejei sim, esmurrei muros, chorei na vidraça, engoli gritos, andei à noite como uma perdida, bebi 'para respirar'... Só não lavei as mãos, como escreveu Ivan Lins.*

Nosso irmão vovô continua a mão esquerda da minha mão direita... e fiquei bem mais amiga do seu último amiguinho, nosso sobrinho neto.
Continue sabendo - que eu honro sua vida assim como honrei sua morte - e que continuo procurando os castelos vienenses... e as quimeras mil da Ellis... acho que sou mais para D. Quixote do que para Dulcinéa...

Lyrics

Daquilo Que Eu Sei Lyrics

I. Lins - V. Martins)
Daquilo que eu sei
Nem tudo me deu clareza
Nem tudo foi permitido
Nem tudo foi concebido
Daquilo que eu sei
Nem tudo foi proibido
Nem tudo me foi possvel
Nem tudo me deu certeza
No fechei os olhos
full lyrics

more lyrics

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Coisas que não sabemos ou que não nos lembramos

Os Três Reis Magos:

O árabe Baltazar: trazia incenso, significando a divindade do Menino Jesus.

O indiano Belchior: trazia ouro, significando a sua realeza.

O etíope Gaspar: trazia mirra, significando a sua humanidade.

As Sete Maravilhas do Mundo Antigo: 1 - As Pirâmides do Egito 2 - As Muralhas e os Jardins Suspensos da Babilônia 3 - O Mausoléu de Helicarnasso ( ou O Túmulo de máusolo em Éfeso ) 4 - A Estátua de Zeus, de Fídias 5 - O Templo de Artemisa (ou Diana) 6 - O Colosso de Rodes 7 - O Farol de Alexandria.

As 7 Notas Musicais
A origem é uma homenagem a São João Batista, com seu hino:

Ut
queant laxis (dó) - Para que possam

Re
sonare fibris - ressoar as

Mi
ra gestorum - maravilhas de teus feitos

Fa
mulli tuorum - com largos cantos

Sol
ve polluit - apaga os erros

La
bii reatum - dos lábios manchados
Sancti Ioannis - Ó São João

Os SetePecados Capitais

(Eles só foram enumerados no século VI, pelo papa São Gregório Magno (540-604), tomando como referência as cartas de São Paulo)
. Gula
. Avareza
. Soberba
. Luxúria
. Preguiça
. Ira
. Inveja

As SeteVirtudes
(para combater os pecados capitais)
. Temperança (gula)
. Generosidade (avareza)
. Humildade (soberba)
. Castidade (luxúria)
. Disciplina (preguiça)
. Paciência (ira)
. Caridade (inveja)

Os Sete dias da Semana e os 'Sete Planetas'
Os dias, nos demais idiomas- com excessão da língua portuguesa , mantém os nomes dos sete corpos celestes conhecidos desde os babilônios:

. Domingo - dia do Sol - Domingo - Sunday
. Segunda - dia da Lua - Lunes - Monday
. Terça - dia de Marte - Martes - Tuesday
. Quarta - dia de Mercúrio - Miercoles - Wednesday
. Quinta - dia de Júpiter - Jueves - Thursday
. Sexta - dia de Vênus - Viernes - Friday
. Sábado - dia de Saturno - Sabado - Saturday

As Sete Cores do Arco-Íris:

Na mitologia grega, Íris era a mensageira da deusa Juno. Como descia do céu num facho de luz e vestia um xale de sete cores, deu origem à palavra arco-íris. A divindade deu origem também ao termo íris, do olho.
. Vermelho
. Laranja
. Amarelo
. Verde
. Azul
. Anil
. Violeta

Os Dez Mandamentos:

1º - Amar a Deus sobre todas as coisas
2º - Não tomar o Seu Santo Nome em vão
3º - Guardar os sábados
4º - Honrar pai e mãe
5º - Não matar
6º - Não pecar contra a castidade
7º - Não furtar
8º - Não levantar falso testemunho
9º - Não desejar a mulher do próximo
10º - Não cobiçar as coisas alheias

Os Doze Meses do Ano:

- Janeiro: homenagem ao Deus Janus, protetor dos lares
- Fevereiro: mês do festival de Februália (purificação dos pecados), em Roma;
- Março: em homenagem a Marte, deus guerreiro;
- Abril: derivado do latim Aperire (o que abre). Possível referência à primavera no Hemisfério Norte;
- Maio: acredita-se que se origine de maia, deusa do crescimento das plantas;
- Junho: mês que homenageia Juno, protetora das mulheres;
- Julho: No primeiro calendário romano, de 10 meses, era chamado de quintilis (5º mês). Foi rebatizado por Júlio César;
- Agosto: Inicialmente nomeado de sextilis (6º mês), mudou em homenagem a César Augusto;
- Setembro: era o sétimo mês. Vem do latim septem;
- Outubro: Na contagem dos romanos, era o oitavo mês;
- Novembro: Vem do latim novem (nove);
- Dezembro: era o décimo mês

Os Doze Apóstolos:

1 - Simão Pedro
2 - Tiago ( o maior )
3 - João
4 - Filipe
5 - Bartolomeu
6 - Mateus
7 - Tiago ( o menor )
8 - Simão
9 - Judas Tadeu
10 - Judas Iscariotes
11 - André
12 - Tomé.
***Após a traição de Judas Iscariotes, os outros onze apóstolos elegeram Matias para ocupar o seu lugar.

Os Doze Profetas do Antigo Testamento:

1 - Isaías
2 - Jeremias
3 - Jonas
4 - Naum
5 - Baruque
6 - Ezequiel
7 - Daniel
8 - Oséias
9 - Joel
10 - Abdias
11 - Habacuque
12 - Amos

Os Quatro Evangelistas e a Esfinge

. Lucas (representado pelo touro)
. Marcos (representado pelo leão)
. João (representado pela águia)
. Mateus (representado pelo anjo)

Os Quatro Elementos e os Signos

. Terra (Touro - Virgem - Capricórnio)
. Água (Câncer - Escorpião - Peixes)
. Fogo (Carneiro - Leão - Sagitário)
. Ar (Gêmeos - Balança - Aquário)

As Musas da Mitologia Grega
(a quem se atribuía a inspiração das ciências e das artes)

1 - Urânia ( astronomia )
2 - Tália ( comédia )
3 - Calíope ( eloqüência e epopéia )
4 - Polímnia ( retórica )
5 - Euterpe ( música e poesia lírica )
6 - Clio ( história )
7 - Érato ( poesia de amor )
8 - Terpsícore ( dança )
9 - Melpômene ( tragédia )

Os Sete Sábios da Grécia Antiga:

1 - Sólon
2 - Pítaco
3 - Quílon
4 - Tales de Mileto
5 - Cleóbulo
6 - Bias
7 - Períandro

Os Múltiplos de Dez
(os prefixos usados em Megabytes, Kilowatt, milímetro...)

NOME (Símbolo) = fator de multiplicação

Yotta (Y) = 1024 = 1.000.000.000.000.000.000.000.000
Zetta (Z) = 1 021 = 1.000.000.000.000.000.000.000
Exa (E) = 1018 = 1.000.000.000.000.000.000
Peta (P) = 1015 = 1.000.000.000.000.000
Tera (T) = 1012 = 1.000.000.000.000
Giga (G) = 109 = 1.000.000.000
Mega(M) = 106 = 1.000.000
kilo (k) = 103 = 1.000
hecto (h) = 102 = 100
deca(da) = 101 = 10
uni = 100 = 1
deci d, 10-1 = 0,1
centi c, 10-2 = 0,01
mili m, 10-3 = 0,001
micro µ, 10-6 = 0,000.0001
nano n, 10-9= 0,000.000.001
pico p, 10-12 = 0,000.000.000.001
femto f, 10-15 = 0,000.000.000.000.001
atto a, 10-18 = 0,000.000.000.000.000.001
zepto z, 10-21 = 0,000.000.000.000.000.000.001
yocto y, 10 -24 = 0,000.000.000.000.000.000.000.001
exa deriva da palavra grega 'hexa' que significa 'seis'.
penta deriva da palavra grega 'pente' que significa 'cinco'.
tera do grego 'téras' que significa 'monstro'.
giga do grego 'gígas' que significa 'gigante'.
mega do grego 'mégas' que significa 'grande'.
hecto do grego 'hekatón' que significa 'cem'.
deca do grego 'déka' que significa 'dez'.
deci do latim 'decimu' que significa 'décimo'.
mili do latim 'millesimu' que significa 'milésimo'.
micro do grego 'mikrós' que significa 'pequeno'.
nano do grego 'nánnos' que significa 'anão'.
pico do italiano 'piccolo' que significa 'pequeno'.
femto do dinamarquês 'femten' que significa 'quinze'.
atto do dinamarquês 'atten' que significa 'dezoito'.
zepto e zetta derivam do latim 'septem' que significa 'sete'.
yocto e yotta derivam do latim 'octo' que significa 'oito'.

Conversão entre unidades:

cavalo-vapor 1 cv = 735,5 Watts
horsepower 1 hp = 745,7 Watts
polegada 1 in (1´´) = 2,54 cm
pé 1 ft (1´) = 30,48 cm
jarda 1 yd = 0,9144 m
angström 1 Å = 10-10 m
milha marítima =1852 m
milha terrestre 1mi = 1609 m
tonelada 1 t = 1000 kg
libra 1 lb = 0,4536 kg
hectare 1 ha = 10.000 m2
metro cúbico 1 m3 = 1000 l
minuto 1 min = 60 s
hora 1 h = 60 min = 3600 s
grau Celsius 0 ºC = 32 ºF = ?273 K (Kelvin)
grau fahrenheit =32+(1,8 x ºC

Os Dez Números Arábicos

Os símbolos tem a ver com os ângulos:
o 0 não tem ângulos
o número 1 tem 1 ângulo
o número 2 tem 2 ângulos
o número 3 tem 3 ângulos
etc...

As Datas de Casamento:

1 ano - Bodas de Algodão
2 anos - Bodas de Papel
3 anos - Bodas de Trigo ou Couro

4 anos - Bodas de Flores e Frutas ou Cera

5 anos - Bodas de Madeira ou Ferro
10 anos - Bodas de Estanho ou Zinco
15 anos- Bodas de Cristal

20 anos - Bodas de Porcelana

25 anos - Bodas de Prata

30 anos - Bodas de Pérola
35 anos - Bodas de Coral
40 anos - Bodas de Rubi ou Esmeralda

45 anos - Bodas de Platina ou Safira

50 anos - Bodas de Ouro

55 anos - Bodas de Ametista

60 anos - Bodas de Diamante ou Jade

65 anos - Bodas de Ferro ou Safira

70 anos - Bodas de Vinho

75 anos- Bodas de Brilhante ou Alabastre

80 anos - Bodas de Nogueira ou Carvalho


Os Sete Anões:

. Dunga . Zangado
. Atchin
. Soneca
. Mestre
. Dengoso
. Feliz

Parei por aqui, porque o restante parece um pouco inverossímil... Se alguém souber a autoria, comunique-me, pois recebi por e-mail.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Encontraram! As Minas do Rei Salomão

‘’ ... Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura, o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, são veementes labaredas. As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios, afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens da sua casa pelo amor, seria de todo desprezado.... ‘’(Cantares de Salomão 8:6-7)

Clique na foto



Lembrando a primeira vez que ouvir falar deste rei, aos 5 anos...


'Certa vez, o rei Salomão estava em seu palácio. Aí entraram duas mulheres. Elas tinham uma questão entre si. E agora o rei tinha que dizer qual delas tinha razão.

Cada uma das mulheres tinha um filho. Uma dessas crianças olhava para o mundo com olhos risonhos. Estava viva e sadia. Mas a outra criança tinha os olhos fechados e jazia quieta e pálida nos braços da mulher. Esta criança estava morta.

"A criança viva pertence a mim", disse uma das mulheres.
"Isso não é verdade, é minha", disse a outra.
Salomão disse: "Contem-me tudo."

E uma das mulheres contou: "Oh rei, ela e eu moramos juntas numa casa, e dormimos no mesmo quarto, e cada uma tem uma criança. Mas esta noite morreu uma das crianças. O filho dela morreu, rei. A criança morta é a dela, e a criança viva é a minha."
Mas a outra mulher disse: "Não, a criança viva é minha, e a morta é dela."
"Eu quero a criança viva, porque sou a mãe", gritou uma.
"Não, eu sou a mãe, eu quero a criança", gritou a outra.

Assim estavam todos ali e ninguém sabia quem tinha razão. Mas Salomão tinha que saber. Ele devia dizer quem iria ganhar a criança viva.
Salomão perguntou: "Então, vocês querem ambas ter a criança viva?"
"Sim, rei", falou uma.
"Sim, rei", falou a outra.

E então Salomão disse uma coisa estranha, com a qual todos se assustaram. Ele falou: "Pois bem, então vamos cortar a criança viva pelo meio, então cada uma de vocês receberá a metade".
Não era o plano do rei de fazer realmente isto. Mas ele disse isso com muita seriedade, ele fez de conta como se fosse tal seu plano. Ele chamou um empregado com uma grande espada e disse: "Corte a criança pelo meio".E o empregado pegou a criança e levantou a grande espada. Mas então uma das mulheres começou a chorar amargamente.
"Não faça isso!" gritou ela. "Não faça nenhum mal à criança! Só quero que meu filho continue vivo!".

Mas a outra mulher não se afligiu pela criança. Ela disse: "Bem, corte-a pelo meio, então nós duas não temos nada".

Aí o rei sabia quem era a mãe. Ele disse: "Dê a criança à primeira mulher, porque ela a ama. Esta é a mãe".

E a mulher recebeu a criança viva e, feliz, foi para casa com o filhinho no braço.
E todos diziam: "Como é sábio e inteligente o nosso rei!"

Salomão ficou sendo rei por muito tempo. Ele cuidou bem de seu povo. Ele fez as pessoas de sua terra viverem felizes,

Ele também construiu um lindo templo. Isso era uma casa para Deus, o Senhor, uma igreja bem grande. E para este bonito templo vinham as pessoas de todo o país, para oferecer sacrifícios e fazer oração."

Ref.: http://www.luteranos.com.br/101/infantil/historias/salomao.html

A História das minas - clique aqui

Salomão também é conhecido nos meios maçônicos e cabalísticos.Os templos maçônicos utilizam algumas normas de arquitetura do templo deste rei. Encontrei uma descrição interessante de sua trajetória também neste link - José Laércio.

Para completar, Raul Seixas, nosso músico 'underground' - tem uma música: 'As Minas do Rei Salomão', no álbum 'Há 10.000 anos atrás'.

Adoro quando se encontram vestígios bíblicos... se alguém puder mandar, agradeço!

Dedico esta postagem para o Mano Loirinho que tá no céu, que iria adorar a noticia.



terça-feira, 21 de outubro de 2008

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Um exemplo do sentido do sofrimento

'É próprio da condição humana buscar Ecos'... (minha frase quando eu tinha 15 anos). Assim, leia
um sofrimento que ensina

terça-feira, 14 de outubro de 2008

O Valor do Sofrimento


Compreender os fatos e por que eles ocorrem é parte integrante da caminhada humana em busca da evolução. E feliz o homem que consegue caminhar pelos trechos incendiados do caminho, conservando lealdade ao rumo escolhido.
Nem sempre prosseguimos incólumes, há que se queimar alguma pele.




Há que se acender muitas velas, ou passear na chuva tendo as lágrimas como companhia. O sofrimento, se partilhado, deveria ser com aqueles que podem de fato nos ajudar. Se assim não o fosse, nossos entes queridos perderiam o apoio sobre o qual se sustentam.
Uma vez uma amiga disse: 'Tem gente que nasceu para mourão de cerca', e isto é bem verdade. Percebemos ao nosso redor, estes anjos. Pessoas que cuidam, abnegadas, esquecendo-se de si mesmas. Acredito que sejam assim mesmo, e nelas não há desequilíbrio. Mas são raras... Psicologicamente o altruísmo em excesso prejudica, pois as pessoas se esquecem de si mesmas contraindo doenças inevitáveis decorrentes deste constante estado de alerta. Então nós, seres humanos comuns, sem a angelitude destas nobres almas as quais me refiro, prosseguimos passo a passo, buscando não esmorecer, e no máximo conseguimos cuidar o necessário daqueles que nos são confiados.
A questão do sofrimento é uma questão que nos impressiona sobremaneira no caminhar terreno, pois é uma realidade a qual vivemos, seja no lar, seja no trabalho, revezes que muitas vezes nos minam a existência, incendiando o caminho.
Não quero falar aqui de conselhos ou orientações, e sim refletir sobre isto. nem quero um apanágio religioso, pois em toda religião há pessoas, e cada qual busca o caminho que mais lhe apraz. Gosto de pensar e tratar a forma de lidar com a divindade como um ritual necessário a sobrevivência. É nos livros de sabedoria religiosa que encontramos o mito, e, mais além o significado das experiências as quais me refiro.
Desde o mes passado estou propensa a ler a história de Jó, e no Livro Sagrado ( a Bíblia)
encontrei o que buscava.

Se quiser aprofundar, sugiro ler o apanhado geral. Depois volte aqui.

A história de Jó não é uma história de culpa e perdão. Ele não chegou a pecar, na acepção bíblica. Jó era uma pessoa próspera, que foi tentado por Satanás com a aquiescência de Deus, por ser fiel e temente a Ele. Foram duras provações: perdeu a prosperidade e depois adoeceu. Após estes fatos começou a murmurar, ou seja, queixar-se e rebelar-se. Isto não é pecado, é desequilíbrio provocado por perdas importantes. acredito que todos passamos por isto, em maior ou menor grau. Depois fez as pazes com Deus, dentro do seu coração, e em idade avançada retomou seu bem estar e prosperidade.
Em nossa caminhada a qualquer momento nos desesperamos e perdemos a esperança e talvez a fé, em nosso poder divino de mudar as situações e sobreviver, para então 'voltar a viver' de forma nova, uma transformação interna, digamos assim. Na verdade Jó teve que enfrentar sua desgraça e acreditar que disto renasceria mais sábio e forte. É o que todos esperamos quando o sofrimento nos toca a alma.
Existe um ditado do qual discordo bastante, que é 'quem não aprende por amor aprende pela dor'. Sinceramente, em minha caminhada nunca vi só o amor trazer crescimento. O amor é sim a armadura que nos reveste, se temos a felicidade de 'adolescer' em lares calorosos. Mas sabemos que nem sempre é assim. Embora em lares bem constituídos o excesso de respeito e obrigações torna nossa convivência estéril de emoções prazerosas e calor humano.
É indispensável o contato com a realidade como ela é. E a realidade é dura. Educar a criança para o sofrimento resultaria aqui em uma afirmação ignorante, já que isto coibiria o sentimento de ingenuidade e esperança que caracterizam o pequeno ser. Prefiro dizer que permitir a ocorrência e acompanhar os pequenos sofrimentos da criança são imprescindíveis para a estruturação do caráter.
Isto me lembra que as pessoas de forma geral evitam o sofrimento. Sem dúvida, isto é saudável e inteligente. Entretanto, ter medo de sofrer é desarrazoado. O rio corre, e algumas ocorrências menos felizes acontecem. Andar com o motor ligado o tempo todo com medo da natureza não faz bem nenhum...
No livro de Jó, Deus como Pai permite que ele sofra, porque sabe que ele é capaz. Assim os pais e familiares importantes nos transmitem um ensinamento muito importante: o sofrimento existe e você pode aceitá-lo e ir além, crescer, amadurecer, transformar-se.
O valor da experiência vai muito além de ensinamentos. Necessitamos viver as experiências que queremos, e - mais que isto - viver as que não queremos.



sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Esclarecendo sobre psicossomática


Clique aqui





Este 'post' tem por objetivo lançar algumas informações tangentes ao nosso estado emocional quando perdemos: um emprego, um parente, um relacionamento, oportunidades...
Além deste estado, precisamos encarar a perda de tempo, nosso bem maior.
A vida é um continnum no tempo, e a existência humana ínfima comparada ao cosmos. Entretanto sabemos que nossa vida tem um sentido para nós mesmos. Não podemos nos concentrar somente em nossos contemporâneos (sejam próximos ou não). O ser tem a capacidade de ver além de... o poder da imaginação.
Administrar este tempo de vida é uma das primeiras necessidades existenciais.
Muitas vezes roubamos ao tempo partilhas de qualidade de vida, e isto... não volta mais.
Como e com quem partilhamos nosso tempo? Estamos evoluindo, ou querendo que o(a) outro(a) evolua? Refletir sobre isto auxilia a conhecermos nossas emoções autenticas e optar conscientemente por caminhos que sejam bons para a gente.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Encerrando um ciclo


ENCERRANDO UM CICLO

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos, não importa o nome que damos,
o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais?
Partiu para viver em outro país?
A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu.
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em
sua vida, a serem subitamente transformadas em pó.

Mas, tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã,
todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora.

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!)
destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que já leu.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração, e, o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto, às vezes ganhamos, e, às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar,
decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”.
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo.
Diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível.
Um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos.
Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba,
mas porque simplesmente, aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.
Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Paulo Coelho

domingo, 31 de agosto de 2008

Agosto do Saci Pererê

O tio Barnabé, personagem de Monteiro Lobato - conta que para pegar sacis tem que ser em agosto, porque se venta muito (devido a São Bartolomeu)...
Haja vento aqui em Campinas...


'O saci é um diabinho de uma perna só que anda solto pelo mundo, armando reinações de toda sorte: azeda o leite, quebra pontas das agulhas, esconde as tesourinhas de unha, embaraça os novelos de linha, faz o dedal das costureiras cair nos buracos, bota moscas na sopa, queima o feijão que está no fogo, gora os ovos das ninhadas. Quando encontra um prego, vira ele de ponta pra riba para que espete o pé do primeiro que passa. Tudo que numa casa acontece de ruim é sempre arte do saci. Não contente com isso, também atormenta os cachorros, atropela as galinhas e persegue os cavalos no pasto, chupando o sangue deles. O saci não faz maldade grande, mas não há maldade pequenina que não faça.' (referencias no blog abaixo, em Continuação)

Uma homenagem a este diabinho famoso e lendário da nossa cultura!! Também às mangas que comi enquanto lia a deliciosa coleção.

Continuação no blog: Cultura de Um Povo

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Som emocional

Estou na maior fossa e de repente... ah, um som maravilhoso. Me perco a dançar, como aos 24 anos... 'serei móvil, como a pluma ao vento'? e lá lá lá lá lá LA! Moulin Rouge reaabre o Lady Marmelade e o estilo de Piazolla e Ravel.
O movimento e dança são essenciais para algumas pessoas. Cada qual tem seu canal de expressão emocional.


Citações:
Moulin Rouge
Director: Baz Luhrmann
/ Writers : Baz Luhrmann (written by) & Craig Pearce (written by)
Trilha sonora

sábado, 9 de agosto de 2008

O Misticismo Exagerado


As vezes deparamo-nos com uma série de opções religiosas, e devido a esperança ou amargura, tendemos a exagerar, provocando experiências das quais não temos a menor necessidade.


O artigo aqui linkado explica bastante bem estes descaminhos - que ocorrem somente quando tendemos ao fanatismo. Do blog: Integrando Fragmentos

Imagem:
ruychi.weblog.com.pt

domingo, 3 de agosto de 2008

Como Sair Pela Porta da Frente?


..." Desde criança somos levados a crer que nossos abuelos e bisos não se curvariam, pra sempre, com as chibatadas irrefreadas dos anos e que eles seriam Titãs, do pernoite à eternidade; que o nosso mais íntimo amiguinho jamais mudaria da casa ao lado, nem da rua, nem pensar que saísse do bairro, quanto mais da cidade, do estado e siquer pensar do país.

Que nossos manos e manas entoariam, conosco e pra sempre, canções natalinas e gritos de guerra enquanto torcedores do mesmo time de futebol. Que papai e mamãe – que sempre tiveram o mesmo rosto e o mesmo corpo, desde o nosso nascimento – fizeram um pacto com o Divino e jamais envelheceriam, viveriam sempre juntos, felizes e tolerantes e nem imaginar que pudessem se separar ou desgarrar-se deste mundo sem uma sinfonia de adeus e sem construir a primeira e banal linha da epopéia do cotidiano. Tudo e todos permaneceriam como antes foram..."

Texto Completo

Foto:
jardimdospequeninos.blogspot.com

terça-feira, 29 de julho de 2008

Aquele Abraço!

Fico pensando em você, Loirinho!... Como é duro não ter ficado com você nos seus momentos depois do acidente. Tão longe... sem saber como foi, e as vezes até se foi mesmo. Queria ter uma esponja para apagar estes momentos difíceis, e então pensar e falar com você normalmente, como se fala com um grande companheiro, sem pensar no sofrimento que voce passou, e se passou ...
Sinto a contração dos meus olhos, as vezes cai uma lágrima, ou muitas, não importa. e fico parada no tempo, com o dano engasgado...
Sei que a alegria prevalece, pelo principio do prazer de Freud (abençoado seja!) e com o tempo só vou rir e me enternecer com as lembranças queridas...
mas a criança que existe dentro de mim ainda teme por você, ainda quer ser sua irmã mais velha, sua Ziza... ainda pensa no dano a ti perpretado pela vida, esta morte ceifadeira que leva as pessoas com saúde, corta o fio e joga a tesoura fora, até a próxima e inevitável ocorrência.
Nesta madrugada coloquei na busca: perdi meu irmão. Encontrei blogs lindos e transcrevo um trecho bonito de um que encontrei. E veja que coisa, de um rapaz que sofre por não ter irmãos... e no entanto compreende tanto este laço de sangue. E nós tres, irmãos verdadeiros, sempre tivemos muito mais que um laço de sangue, como uma jura de ciganos... E é isto que confirmo aqui.

Citação: - magerlanio.blogspot.com - Talvez Os Deuses Tenham Me Escolhido

Novas formas de envelhecer


A vida nos oferece oportunidades intermináveis de reparações. .. Amélia descobre novos interesses e se destaca na net. Clique na foto e conheça seu blog.

domingo, 20 de julho de 2008

Para a família com uma flor

Lisianthus... a flor que eles cultivaram

Era uma vez uma moça falante e bonita, que adentrou na minha sala feito sol no seu melhor momento, de saia jeans e blusa amarela. Éramos muito jovens, ilusionadas ainda... com aquele viço que a falta de experiência traz. A vida com ela nunca poderia ser descrita como comum, porque esta moça até hoje faz de nossos encontros familiares um momento alvissareiro (melhor ler o termo no wikidicionário...). Esta senhorinha mãe, poeta, guerreira, jornalista, doce... é minha irmã de escolha. E temos assim vivido, nem sempre juntas, mas unidas como uma mão direita e outra esquerda, na fala de Pessoa..

Sua família é a minha família. E ontem, ela ficou órfã de mãe. Sábado frio.

Acontece também que sua mãe, como ela, não era nem um pouco comum, embora sua vida fosse do lar. Mulher indulgente, engraçada, forte, bonita, esta pequena querida por nós embalada.
E hoje, por ela, os meus olhos se sombreiam, mais uma vez. Éramos companheiras de risadas, de graças, de reuniões familiares, de perdas, de grandes reflexões - coisas de mulheres antigas...
Minha irmã dourada hoje está nublada, o vovô triste, os netos reflexivos, os filhos taciturnos, a família atordoada, pela partida súbita.
O trovão assusta, mas sempre vem a chuva. Aguardemos as lágrimas... Daqui a algum tempo em nosso céu vai brilhar mais uma estrela. E no coração de quem partilhou sua existência... ah...tantas lembranças alegres.

Mas hoje é dia de calar... e pisar de mansinho... que ela está sem dúvida no sonho dos justos.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

O Meu Baldinho de Afagos


Quando li Tanner (Solidão, Medo do Amor) aprendi a importância de se ter um balde de afagos. Colecionar presentes simbólicos em um local só nosso, para sempre nos sentirmos acompanhados(as) . Já sabia intuitivamente disto, como grande parte das pessoas mais calorosas, e resolvi colocar em prática para cristalizar bem o conceito.
Fiz da malinha do vô João (Henrique de Lima) o recipiente de tão importante tarefa. Guardei só coisas que considerava um afago incondicional, ou condicional e lembranças queridas. Iniciei em 1978... a maleta hoje transborda, e vai ser minha herança mais importante.



Qualquer recipiente pode ser usado como Baldinho de Afagos - deixo a sua imaginação.

Com o advento do micro, temos a possibilidade de guardar tb. em álbuns na internet, ou caixa de entradas não é?
Ensinei este hábito a muita gente já... as vezes as coisas muitos imples são tão simples que perdem a importância, e as pessoas não as usam.
Eu hoje homenageio um grande amigo e colega, valorizador de mentes, que tem uma palavra inusitada e inesquecível em alguns momentos da vida da gente.
Pois hoje me deparei com seu livejournal, e esta incrível postagem abaixo, que já inclui no Memories. Postagem esta que eu só poderia chamar de

Delicadeza do Esseaga

E a entrada para Esseaga live journal

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Estranho Amor

Ninguém é 'só mais um 'na nossa vida. Uma raiz familiar é uma raiz real, faça a retirada dos galhos e ela se sustenta sozinha.

Por mais que digam que o que importa é a afinidade espiritual, o laço de sangue é forte, é um laço de amor e ódio, um aprendizado constante. Brigam, choram, compartilham todos os tipos de emoções... Indescritível e Estranho amor.

sábado, 7 de junho de 2008

Mulheres Que correm com Os Lobos



(ref. foto:sandrafreitas.blogspot.com)


Este livro é um caminhada feminina em busca de sua alma perdida, as vezes, no cansaço da vida e nos descaminhos da mulher.
Oferece uma gama de atividades para a mulher que
está envolvida no conhecimento de seu ser.

Resumo: Shvong

domingo, 1 de junho de 2008


Imagem de Hellena Bloger.com.br


Belo Artigo!
http://www.scribd.com/doc/3190222/Lidando-com-Perdas

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Morrida de saudades

Ref. imagem: somentebia.blogs.sapo.pt

Clique e leia, Márcia Frazão, Morrida de Saudades, toda colorida!!


Sei que está meio 'tétrico' por aqui esta semana, mas aprenda comigo. Na lida da vida dos olhos meus *, estamos despertos, envolvidos(as) em um Poder Maior, e nada acontece por acaso.
Depois de trilhões de zoadas nos tarôs e i-ching, vou no trote... do cavalo baio, alazão da Noite, cujo nome é Raio, Raio de Luar.**
Escrevendo...

* e ** Cancioneiro Popular: Benvinda, Chico Buarque e Viagem (desconheço o autor), mas tem que ser com Alaíde Costa.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

VIDA...MORTE...VIDA

Por NÔ/99

(Aos que se foram e ficaram)

Estão todos encantados...

Nas brumas de Avalon, ou neste triste coração.

São tão queridos

Estes nosso mortos vivos.

Acorde depressa, amigo! Não chore nas sepulturas...

A não ser que você queira que nasça uma flor

desta dor tão doída – a farpa colorida

nascida de um convívio que o tempo deixou prá trás...

A saudade sempre vem, não num dia marcado, um tempo de Cronos.

Mas vem quando a gente sente ...naquela hora exata

Que algo ficou além. Que ficamos muito aquém.

Simbolizam nosso sonhos, que a gente quer enterrar?

Ou talvez seja a vontade de a todos segurar?

Não será melhor ver onde é que ficamos

E onde queremos chegar?

A morte é a forma não negada de aceitar o inevitável

Daquilo que não se muda, ou não se consegue mudar.

Este dia, tão pesado

Lição de sabedoria...

Seria tão simples parar com esta mania

De colocar nestas perdas as coisas não concluídas.

Saudade...do que?

Quem foi fica com a gente...

Mas será que estamos prontos para acolher esta idéia?

E chorar os nossos mortos como quem prepara uma festa

uma celebração inusitada da vida que se transforma ?

Morte e Vida, E vida e morte...

Transformação interna de cada um

Ausência externa de quem partiu...

Tudo é a mesma coisa debaixo do sol,

como está no Santo Livro...


E debaixo do céu de anil.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

DOIDAS OU SANTAS?




A SERENATA
Adélia Prado

Uma noite de lua pálida e gerânios
ele viria com boca e mãos incríveis
tocar flauta no jardim
Estou no começo do meu desespero
e só vejo dois caminhos:
ou viro doida ou santa.
Eu que rejeito e exprobro
o que não for natural como sangue e veias
descubro que estou chorando todo dia,
os cabelos entristecidos,
a pele assaltada de indecisão.
Quando ele vier, porque é certo que vem,
de que modo vou chegar ao balcão sem juventude?
A lua, os gerânios e ele serão os mesmos
— só a mulher entre as coisas envelhece.
De que modo vou abrir a janela, se não for doida?
Como a fecharei, se não for santa?



- Revista O Globo – 13 de abril de 2008 – ELA DISSE
"Doidas e santas"
Martha Medeiros

"Estou no começo do meu desespero e só vejo dois caminhos: ou viro doida ou santa." São versos de Adélia Prado, retirados do poema "A serenata". Ele narra a inquietude de uma mulher que imagina que mais cedo ou mais tarde um homem virá arrebatá-la, logo ela que está envelhecendo e está tomada pela indecisão – não sabe como receber um novo amor não dispondo mais de juventude. E encerra: "De que modo vou abrir a janela, se não for doida? Como a fecharei, se não for santa?"

Adélia é uma poeta danada de boa. E perspicaz. Como pode uma mulher buscar uma definição exata para si mesma estando em plena meia-idade, depois de já ter trilhado uma longa estrada, onde encontrou alegrias e desilusões, e tendo ainda mais estrada pela frente? Se ela tiver coragem de passar por mais alegrias e desilusões – e a gente sabe como as desilusões devastam - , terá que ser meio doida. Se preferir se abster de emoções fortes e apaziguar seu coração, então a santidade é a opção. Eu nem preciso dizer o que penso sobre isso, preciso?

Mas vamos lá. Pra começo de conversa, não acredito que haja uma única mulher no mundo que seja santa. Os marmanjos devem estar de cabelo em pé: como assim, e a minha mãe???

Nem ela caríssimos, nem ela.

Existe mulher cansada, que é outra coisa. Ela deu tanto azar em suas relações que desanimou. Ela ficou tão sem dinheiro de uns tempos pra cá que deixou de ter vaidade. Ela perdeu tanto a fé em dias melhores que passou a se contentar com dias medíocres. Guardou sua loucura em alguma gaveta e nem lembra mais.

Santa, mesmo, só Nossa Senhora, mas, cá entre nós, não é uma doideira o modo como ela engravidou? (Não se escandalize, não me mande e-mails, estou brin-can-do.)

Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar the big one, aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir de vez em quando que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar louca e cafetina, ou sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.

Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascina a todos.

Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só se for louca de pedra.
Foto: virtualbooks.terra.com.br

Depois dessa, só conhecendo a poesia de Adélia Prado, é maravilhosa.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Sonhos


Foto:
http://www.mckellen.com/galleries/16.htm

Eu sonhei hoje com você, depois de quase 23 anos de ausência. Minha prima irmã imorrível. Tantos anos e hoje consegui te abraçar. E querida, você me contou de como foi que recebeu a passagem. Aí te contei da minha saudade, e você do que ficou sabendo da gente. Aí abracei você, forte! Quando dei por mim estava na minha cama. Não sabia se fora um sonho, ou se estar aqui era um sonho. Bonita!

Uma mestra egípcia ensinou-me que o sonho é sempre lembrança do passado. O restante é percepção extra sensorial. Jung, que pesquisou caminhos místicos*,ensinou o sonho que é uma advertência ou melhor, uma inspiração.
A partir daí fiz estudos qualitativos de sonhos de pessoas que atendi. Cheguei a conclusão de que existem sonhos de inspiração, que surgem em momentos que o mundo nos solicita uma ação, e que o inconsciente permite que venha a tona uma questão profunda existencial. Assim 3 aspectos necessitam serem avaliados: O momento de vida da pessoa, a questão existencial, e o que aprendemos com o sonho em si.
Alguns sonhos chegam acompanhados de material arquetípico, ou sejam, aqueles símbolos de sabedoria que fazem parte do inconsciente coletivo. Neste caso há que pesquisar o significado ritualístico do símbolo, e sua relação com a a questão que o sonho nos apresenta.

Da Wikipédia:
Arquétipo, na psicologia analítica, significa a forma imaterial à qual os fenômenos psíquicos tendem a se moldar. C.G.Jung usou o termo para se referir aos modelos inatos que servem de matriz para o desenvolvimento da psique.
Eles são as tendências estruturais invisíveis dos símbolos. Os arquétipos criam imagens ou visões que correspondem a alguns aspectos da situação consciente. Jung deduz que as "imagens primordiais", um outro nome para arquétipos, se originam de uma constante repetição de uma mesma experiência, durante muitas gerações. Funcionam como centros autônomos que tendem a produzir, em cada geração, a repetição e a elaboração dessas mesmas experiências. Eles se encontram isolados uns dos outros, embora possam se interpenetrar e se misturar.


No sonho acima, o símbolo que aparece é o ritual da morte, um ritual de passagem. Isto mostra que o sonhador está em um momento de passagem,aludindo a mudança. Sendo o assunto a morte, é mais que uma mudança, é uma mudança em todos os sentidos que se chama transformação. Nestes momentos de retomada do sentido da vida, a pessoa sente necessidade de aconchego. A prima dá este suporte, e facilita o entendimento de que em cada mundo existe uma realidade, e a gente se acostuma a nova realidade,achando isto natural (baseado no relato do sonhador, sobre o que ouviu no sonho. O que é necessário rever no mundo psíquico desta pessoa? Trabalhar seus afetos atuais a fim de que ela se sinta acompanhada; trabalhar a permissão interna de mudar crenças, valores,sentimentos (dada pelas palavras da prima); buscar a convivência de gente flexível e responsiva a mudanças; buscar nos familiares e lembranças a força necessária para ir em frente.

* JUNG, C.G., livro Memória, Sonhos e Reflexões

quinta-feira, 6 de março de 2008

Para a 'Loira'

Uma querida amiga me escreveu: 'Fico confusa com esta coisa de força e coragem em luto. Vejo minha mãe chorando, meu irmão tristonho... eu parece que estou no ar'.
Eu escrevi para ela chorar...

Estive louca
brava, doente, esmaecida
olhos caídos, sombras claras no rosto
- fui uma foto do passado
que perdeu a cor e a vida...

Agora choro. As vezes me atordôo
entre os momentos dolorosos
de um dia que existiu.
Ainda estou fosca,
a dor vem e para no peito...
Vomito? Morro? Infarto?

A vida me deixa ir
com o dano engasgado.

Ziza Salomone, 6/03/08

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

O Mapa do Casamento

Michele Winer-Davis

Se você quiser continuar com o seu casamento, leia este artigo...

O que faz exatamente um casamento durar por muito tempo? Como terapeuta que trabalha com casais e observa relacionamentos, posso lhe dizer que, a felicidade do casamento, é de modo surpreendente, imprevisível. Casais que têm familiaridade com a busca da felicidade sabem que vai depender muito de como as pessoas lidam com os altos e baixos do casamento. A maioria das pessoas passa por cinco fases, ainda que a duração de cada uma varie de casal para casal.

PRIMEIRO ESTÁGIO: A paixão vence

No começo de um relacionamento, o casal fica totalmente apaixonado, não enxerga ninguém. O mundo é só deles. Como casal, enfatiza interesses que dizem respeito aos desejos comuns. Como eles se sentem confortáveis na companhia um do outro, nesta fase, geralmente, o casal não dá muita importância para as diferenças que existem entre os dois.. Em nenhum outro tempo, o desejo e a intimidade física ganha tanta importância, euforia e intensidade. É neste estado de paixão e euforia que decidem se casar.
Dica para sobrevivência: aproveite da mágica. Contudo, reconheça que esta euforia vai passar, não vai durar para sempre. E quando a paixão eufórica começar a se desbotar, lembre-se: seu casamento não está acabando. Paixão não é a cola que gruda o casamento.

SEGUNDO ESTÁGIO: O que estava pensando?

Você cai na realidade. Começa a enxergar a diferença de interesses, de perspectivas de vida, diferenças de personalidade e de hábito. A rotina toma conta do relacionamento. Para piorarem as coisas, a atração sexual começa a desaparecer. . Ironicamente, nesta fase, os casais são obrigados a tomarem decisões que vão alterar suas vidas: Deveriam ter filhos? Quem vai ser o provedor nesta família? Aqueles que se casam pela segunda vez, encaram a dantesca responsabilidade de juntarem duas famílias e lidarem com responsabilidades do passado.
Dicas para sobrevivência: Saiba que desacordos e brigas são inevitáveis. Se puder, faça terapia de casal, ou peça auxílio a um profissional que vai lhe ajudar a facilitar a comunicação e resolver conflitos. Continue ligado um ao outro, procurando passar mais tempo juntos O diálogo sobre o que se sente, nesta fase, é crucial. Procure recuperar a paixão sexual, aliás, esta deve ser uma prioridade sua.

TERCEIRO ESTÁGIO: Você Mudou

Casais levam os primeiros cinco anos, tentando mudar seus companheiros. Quando isto não acontece, muitos se encontram numa encruzilhada. Alguns se divorciam, ou buscam relações fora do casamento. Outros, continuam no casamento por crença religiosa, por valores pessoais, por se preocuparem com as crianças, por considerações financeiras, ou até medo da solidão.. Aqueles que ficam juntos, se contentam muitas vezes, com um casamento infeliz. Enquanto outros, na mesma situação, procuram mais satisfação à sua maneira.

Dicas para sobrevivência: Lembre-se de que todo casamento passa por períodos difíceis. Procure ajuda de um profissional, um terapeuta em casais. A socióloga Linda Waite, que estudou o assunto, diz que, 86% de casais infelizes e que continuaram juntos, cinco anos depois se sentem felizes.

QUINTO ESTÁGIO: Pelo menos juntos

Este, é o período que você colhe os frutos que plantou. Os casais que dividiram uma história e um sentido de terem realizado alguma coisa. Eles apreciam suas diferenças em vez de se sentirem ameaçados por elas. Seus filhos estão criados, e eles procuram de modo mais relaxado e sem tensão, uma maneira de se ligarem um ao outro. Chegaram ao final da caminhada e fecharam um círculo.
Dicas para Sobrevivência: Procurem continuar saudáveis e ativos para que com saúde, possam colher os frutos do seu trabalho.

Do site:
Ilma Ribeiro Silva - Formada em Psicologia e Humanidades pelo Califórnia ... Dr Ilma Silva Institute of Integral Studies in San Francisco, California,
www.polw.net

Penso que para o quinto estágio poderíamos ter uma visão mais otimista. Há muitas opções, veja bem.
Se é um casal heterossexual cujos filhos cresceram, eles têm mais tempo para descobrirem o significado de estar juntos neste momento de vida. Há várias atividades e passatempos que podem ser compartilhados, e há a possibilidade também de dedicar mais tempo a si mesmo, e/ou se dedicarem a alguma causa que sensibilize. São duas pessoas inteiras, que têm seus próprios interêsses e que se encontram vez por outra em hobbies comuns. Viver junto com alguém na maturidade pode ser uma experiência esplendorosa, e dá um grande sentido a caminhada. Pode ser que não tenham tido filhos, e parece-me que para esta população, ao envelhecer, é mais fácil de continuar na cumplicidade já adquirida.
A chegada da 'idade' agora pode ser diferente, juntos ou não. Não precisamos adoecer de depressão, tédio, medo. É responsabilidade da geração 50-60-70 dar o exemplo aos mais jovens do que é viver, hoje, com sabedoria.
Comentário: Noeliza Lima, psicóloga.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Cesta de vida


Entre tantos caminhos o que nos faz ir por um e não por outro?
Nasci em berço de ouro
Éramos tres, depois quatro, depois cinco
e então no sexto se separou a flor da semente.
Passaram-se tantos anos, onde fomos todos?
Sorrisos, festas, esperanças...
Eu me lembro...

Sociable