Citação

"A felicidade não lhe é proporcionada por ninguém.
Ela encontra-se somente no próprio esforço
Em revelar o tesouro das profundezas de sua vida, e
se poli-lo cuidadosamente,
Desenvolverá a coragem e a esperança,
Ao longo do caminho."

Pensamento budista - Referência: Sandro Ribeiro


terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Reflexão para a Vida



Senhor da Vida,
Abençoa-nos o propósito
De penetrar o caminho da Luz!...

Somos Teus filhos,
Ainda escravos de círculos restritos,
Mas a sede do Infinito
Dilacera-nos os véus do ser.

Herdeiros da imortalidade,
Buscamos-Te as fontes eternas
Esperando, confiantes, em Tua misericórdia.

De nós mesmos, Senhor, nada podemos.
Sem Ti, somos frondes decepadas
Que o fogo da experiência
Tortura ou transforma...

Unidos, no entanto, ao Teu Amor,
Somos condicionadores gloriosos
De Tua Criação interminável.

Somos alguns milhares
Neste campo terrestre;
E, antes de tudo,
Louvamos-Te a grandeza
Que não nos oprime a pequenez...

Dilata-nos a percepção diante da vida,
Abre-nos os olhos
Enevoados pelo sono da ilusão
Para que divisemos Tua glória sem fim!...
Desperta-nos docemente o ouvido,
A fim de percebermos o cântico
De tua sublime eternidade.
Abençoa as sementes de sabedoria
Que os teus mensageiros esparziram
No campo de nossas almas;
Fecunda-nos o solo interior,
Para que os divinos germens não pereçam.

Sabemos, Pai,
Que o suor do trabalho
E a lágrima da redenção
Constituem adubo generoso
A floração de nossas sementeiras;
Todavia,
Sem Tua bênção,
O  suor elanguesce
E a lágrima desespera...
Sem Tua mão compassiva,
Os vermes das paixões
E as tempestades de nossos vícios
Podem arruinar-nos a lavoura incipiente.

Acorda-nos, Senhor da Vida,
Para a luz das oportunidades presentes;
Para que os atritos da luta não as inutilizem,
Guia-nos os pés para o supremo bem;
Reveste-nos o coração
Com a Tua serenidade paternal,
Robustecendo-nos a resistência!
Poderoso Senhor,
Ampara-nos a fragilidade,
Corrige-nos os erros,
Esclarece-nos a ignorância,
Acolhe-nos em Teu amoroso regaço.

Cumpram-se, Pai Amado,
Os Teus desígnios soberanos,
Agora e sempre.
Assim seja.

Enviado por prof. Carlos Eduardo Cennerelli, esta prece está incluida em um texto de Weimar Muniz de Oliveira, presidente do Lar de Jesus, vice-presidente da Associação Brasileira dos Magistrados Espíritas e diretor da Feego, intitulado 'Ascendente Espiritual na Terra'. Não tenho a referencia na internet, e trata dos problemas humanos globais (inclusive os discutidos em Copenhagen). Recomendo que o busquem, a fim de entender o que ocorre de forma amadurecida.


Breve degustação




Não é difícil de perceber a ascendência do princípio espiritual sobre o princípio material. A Filosofia e a Religião, ao lado da pesquisa científica, demonstram que o mundo espiritual prevalece sobre o mundo material. E mais: o primeiro governa o segundo, ditando-lhe as normas, os fenômenos e os fatos históricos mais evidentes, que nem sempre são registrados com fidelidade pelos anais terrenos.
O homem, filho de Deus, é espírito, em essência. Enverga e tem envergado, ao longo se sua trajetória, um corpo carnal, com vistas à sua evolução espiritual e à sua integração com as leis da natureza: leis divinas.
Na sua caminhada infinita, rumo à perfeição, tem necessidade da luta ingente na matéria densa, a fim de aprender e experimentar, adquirindo, com o tempo, maior sensibilidade e saber, na continuidade de sua jornada, em demanda a planos cada vez mais sutis da vida, até atingir o estágio que o habilite a conhecer-se a si mesmo e impor-se sobre a matéria.
Para isso atingir, com o passar das eras, a partir do princípio de sua razão e livre-arbítrio bruxuleantes, tem ele que se submeter à dor e aos embates persistentes das formas mais grosseiras.
Filho de Deus que é, caminhará cada vez mais resoluto em busca do abstrato, através do intelecto e do sentimento, eis que nada é mais abstrato, nada é mais intelecto e amor do que Deus, o seu Criador e Pai, Causa das Causas. O homem, diamante ainda bruto, de tríplice aspecto, átimo de luz da Gema Central, errará por vales e montes, até que, um dia, brilhe em toda a sua capacidade e vigor, depois que o tempo, lapidário insubstituível, o devolver, garboso e ofuscante, ao seu "habitat", ao convívio do seu Divino Autor.
Enquanto persistir o seu transladar pelos ambientes densos da crosta, guiar-se-á com as forças intrínsecas de si mesmo, sem embargo da presença constante de seu guardião, que o acompanhará sempre, à conta do Altíssimo. Mas, em essência, é a luz, vacilante ainda, destacada do foco Central, com amor. Por isso mesmo, essa luz, ou ele próprio, o homem é o que pensa, ordena comanda, acionando a vontade. A luz, o EU, ordena, o perispírito transmite a ordem ao corpo e este a executa.
Nessa tríade – espírito, perispírito e corpo físico – consubstancia-se o homem, enquanto em experiência no corpo denso, até que, um dia, na sua plenitude espiritual, não mais terá de se sujeitar à roda trepidante e repetitiva das experiências planetárias.
Há, pois, uma ascendência natural do espírito sobre a matéria, submetendo-a e governando-a. Do mesmo modo, o mundo espiritual exerce irresistível influência e governo sobre os mundos físicos. Frise-se, aliás, que os mundos físicos existem em função do espírito, em razão da necessidade que tem o espírito de experimentar e evolver. O físico pressupõe a existência do espiritual, assim como a sombra reconfortante pressupõe a existência da árvore frondosa. 
...[...]...





segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Na minha casa tem uma brabuleta


Quando se tira de letra ou troca letra
corre-se o risco de
ficar com a cara do Holtelino Tlocaletla
ou no mínimo
meio descamisada no meio da rua
fazendo inventário da maldade alheia.


De toda maneira, a mudança tem lá seus meandros
e há que se perceber bem seus caminhos .


Ninguem espera grandes acontecimentos em dezembro:
o mes dos cheiros, cores, fotos, encontros
Este meu dezembro começou de mansinho, no meio do cotidiano


Mas minha borboleta, a que eu ganhei de repente
fixou sua presença na sala, inevitável e delicadamente...
Mesmo que toquem trombetas, ou que se mude ou feneça
sente-se que o amor é agora, inda assim
uma cinestésica presença no meio das luzes  - campinenses.

Ps.: Alguem sabe algo do Holtelino? Saudade dos quadrinhos... 
















sexta-feira, 6 de novembro de 2009

É seu aniversário terreno!!



Orkut Commenti - Anniversario








Querido, você não está lá, vc. está com quem verdadeiramente o amou e ama. Como são os amores verdadeiros, achados e perdidos. Lembro-me do que vivemos, e recuperar-me é impossível. Mas consigo gargalhar sim, e teu filho, mano, é deveras uma 'papagaiada'. Alegre como você, forte como você, e continua sendo seu orgulho, como vc. dizia. Agradeço tanto poder ter tido a honra de ser a 'tia' madrinha, e amo muito a mãe dele... como sempre. Ah, e está noivo....
Teu outro filhinho o ama, é na verdade um grude, coisa que tenho certeza deixa vc. muito satisfeito. E olha, tá todo mundo casando...
Temos continuado, querido. Nosso mano continua babando com o neto, um homem valoroso, como vc. dizia. Sua cunhada ainda faz aqueles doces, e claro, lembra de vc. ' uma formiga desatinada' (palavras minhas.
Conseguimos decidir qual foto sua colocar lá, pois queremos uma que o retrate em sua glória de Loiraço tipo nosso pai, coisa que vc. tanto se orgulhava.
Espero que você já possa espiar sorrateiro algo do lado de cá. Tenho certeza que tem recebido as orações, lembranças, sentimentos que deixou do lado esquerdo do peito.
Já estou com vontade de cantar aquela musica do Chico: 'Nosso país está jogando futebol'. Nada muda, e muda tudo.
Feliz aniversário, porque o mais importante é o momento do nascimento, quando a pessoa está a frente de suas escolhas, e faz o possível para cumpri-las. A morte é o final da grande aventura, então, na verdade, vc. deve estar 'trampando muito ' ai nas alturas, estudando, cuidando, que seu negócio não era esperar, e sim fazer.
Happy Bithday. O recado vai, claro, em italiano. Um abraço apertado da mana, caro mio
Ziza

PS: Cadê meu chocolate?

domingo, 4 de outubro de 2009

Sir Sean Connery e lembranças


Eu tinha 15 anos e estava no 1° normal do I.E Joaquim Ribeiro, na Cidade Azul. Este filme foi sucesso de bilheteria. Aparecia o Sean Connery, lindo! Romance, aventura, um homem forte, blasé!... o que mais queria uma adolescente? E a música com o Mat Monro, aquele loirão lindo de olhos castanhos... Que Beatles, que nada. Foi um arraso. Eu tinha uma amiga que sentava ao meu lado, que chamarei Vivi. Eu me lembro... eu escrevendo James Bond, em um coração, e ela escrevendo o nome de umpadre de nossa paróquia.
Eu disse:'Vivi, ele é um paaadre!!!' Ela me respondeu: 'Mas é liiindo!...'
Após cerca de 40 anos, ao fazer uma pausa durante a tarefa do almoço de domingo, deitei na poltrona, liguei a TV e dei de cara com ele, o Sean. Dirigia um caminhão, em um filme que eu não recordava, mas era James Bond. Fiquei emocionada, com sua interpretação. Na época nem foi indicado ao Oscar -  havia um preconceito em relação a galãs que faziam muito sucesso em filmes não apropriados para o Oscar. Hoje, se este filme fosse indicado venceria, se fizesse um arranjo tecnológico. Porque de interpretação, neste filme, Sean Connery arrasou. E a mãozinha jogando fora o vídeo (em fita) em pleno canal de Veneza? Foi hoje a 1a. vez que prestei atenção na tradução de 'From Russia with love'. Clique para ouvir.
Sir Sean, após inumeras apresentações em filmes considerados profundos, é considerado pela crítica e todo o mundo um grande ator. Mas convenhamos, já era o máximo no 1° James Bond.
Para quem curte, sugiro ver sua aparição no filme 'O mais longo dos Dias', acerca do Dia D - invasão da Normandia, , onde fez o papel de um soldado escocês na invasão que determinou o final da 2a. Grande Guerra.

sábado, 22 de agosto de 2009

De repente


Depois de uns tempos a gente lembra de tanta coisa, como se fosse hoje. Um clarão e estamos nós com o amor antigo, das pessoas queridas, momentos vividos.
Há dois tipos de clarões : a adaga da perda, ou a lembrança querida.

Na dor, as lágrimas vêem sem o mínimo esforço e a gente ou chora, ou evita. Eu acho mais produtivo deixar esta dor ficar. Paro de falar, os olhos abertos, molhados, longe... não forço o choro, porque nem precisa. Não é um lamento, não sai um gemido - só as lágrimas caem, durante um ou dois minutos. Depois passa.
As lembranças também podem vir de repente, e esta é a melhor forma. De repente, você vê uma sala, e vc. está lá, não aqui. É uma leve fugida do atual. A gente ri...

Se quiser ver mais escritos assim, clique nas flores. Mas o navegador precisa ser internet explorer.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Susan Boyle

E a moça ficou em 2° lugar. Devido ao estresse do concurso, acredito eu, e também ao fato de ser preterida, parece que teve um esgotamento...
Clique no link acima: os telefones de votação foram trocados.
De toda forma, parabéns a tão maravilhosa cantora. Principalmente porque trouxe uma mensagem linda: 'Nunca se pode desistir dos sonhos'. Assim como Paul Potts, ano passado.
Os videos estão desativados para incorporação . Então aqui está o link

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Música - minha vida

Uma boa música nos aproxima dos deuses. Pode ser clássica, para começar. Algo que não te lembre de um luto recente. 5' de um som harmonioso e você tem um vislumbre do céu. Para mim tem sido uma benção. Nem sempre somos acostumados a aprender música, a nos interessarmos por ela, a não er quando queremos uma badalação, um fuzuê, uma 'respirada geral'. O que é muito bom!
O som existe na natureza, é parte da vida. Se estiver a fim, experimente.

Retirado do site: http://www.buttonbeats.com/


ButtonBeats.com

quarta-feira, 22 de abril de 2009

O apreço não tem preço

Clique primeiro no link acima, no título, para abrir em outra janela.

Estar só em meio a uma situação de perda nunca estive... E você? Por favor, não se deixe estar só.
A vida é muito mais alegre compartilhada. A vida só é possível compartilhada.
Iniciei este blog devido a uma perda. Não tinha sido a primeira, mas foi a primeira nos 'quase sessenta'.
Perdi por falecimento: mãe, pai, mãe adotiva, pai adotiva, tios e tias que eu amava, avós, avôs, priminha nova, prima moça, primos moços, namorados que eu tinha tido antes de casar, amigas imorríveis, colegas da juventude...
Um grande amigo de adolescencia, companheiro de samba me escreveu quando perdi meu irmão: lembre-se dos amigos.
Graças a parentes amigos, posso novamente rir 'a bandeiras despregadas.'

Dedico este post a todos, e as minhas queridas amigas de Campinas, as que estiveram e estão super próximas.

Por favor, não permaneça solitário (a)!

terça-feira, 31 de março de 2009

Idéias fixas


Dr. Nubor Orlando Facure*


Cada um de nós é responsável pela criação do seu próprio mundo mental. Recebendo os estímulos que a vida nos oferece, construímos por conta própria as interpretações e os juízos de valores para as pessoas, os objetos e as situações que nos afetam. Dessa forma os acontecimentos da vida se arrastam árduos e penosos, para alguns. enquanto para outros, o colorido dos dias estão sempre cheios de oportunidades novas. O equilíbrio da mente, no entanto, exige vigilância para não cairmos nas armadilhas que os pensamentos podem nos fixar. Ninguém está livre de ver seus desejos contrariados, seus objetivos não concretizados, suas idéias deturpadas e sermos mal interpretados em nossos mínimos gestos. Todos esses acontecimentos podem criar mágoas e contrariedades que estacionam ressentimentos duradouros dentro de nós. É assim, que encontramos exemplos inúmeros de "idéias fixas" que nos aprisionam num processo de autoobsessão. É a jovem que se prende em conquistas mundanas e quando não tem o sucesso que espera, se revolta e se atormenta sem parar. A esposa que se retém em pequenas expressões do marido, tentando achar pistas que o ciúme faz ver infidelidade. O amigo que num pequeno descuido nas gentilezas do outro, vê sinais de rejeição. A palavra que uma cunhada pronunciou e que parece revelar inveja. A traição confirmada, que recusa esquecimento e não pratica o perdão,o remorso da palavra mal colocada que uma filha não soube interpretar.O dinheiro emprestado que o parente levou com garantias que pareciam seguras.

Marido e mulher quando se separam não imaginam que pensamentos repetitivos podem atormentá-Ios por anos. A "idéia fixa" é um turbilhão de imagens vividas. palavras já pronunciadas e ofensas repetidas que teimam em ir e voltar para dentro de nós.

Na verdade, ninguém vive sem esse diálogo interior. Nossas decisões racionais são sempre precedidas dessa conversa intema alimentada pelas nossas crenças. O comportamento humano também resulta da disposição interna que, por força da vontade própria, nos faz tomarmos determinada atitude. E as idéias fixas deterioram o diálogo interior e comprometem as iniciativas que alimentam a disposição de viver.

André Luiz** usa a expressão "monoidéia" para se referir a uma situação gravíssima de idéia fixa. O Espírito fica aprisionado a um único pensamento. Um desejo de vingança, uma frustração insupol1ável um sentimento de culpa ou um vazio monstruoso que força o perispírito a retrair-se. descorporificando suas características humanas, para se transformar numa espécie de esporo ovóide que se assemelha a formas primitivas de vida. Aprendemos, também. no "Mecanismos da Mediunidade" de André Luiz. que nos fenômenos de "ideoplastia" a energia do pensamento constrói em torno de nós o cenário que reflete o teor dos nossos desejos. Insistir com persistência numa idéia fixa de ódio ou vingança, de preocupação excessiva com a segurança econômica ou com o compol1amento dos filhos, com os títulos ou as posses dos amigos, com a partilha da herança com parentes difíceis, com os vícios que alimentam os prazeres significa construir em nossa própria "psicosfera" o ambiente correspondente aos nossos desejos. Passamos pela vida hipnotizados ou obsidiados. Felizes ou infelizes, mergulhados no circuito mental que nós mesmos construímos.

Allan Kardec em "A Gênese" ensina que o perispírito fica "impregnado" do pensamento que transmite. É por isso que a aparência de cada um de nós revela o conteúdo das idéias que alimentam nossos desejos. A alegria aumenta o brilho dos olhos e a raiva interna envelhece precocemente. O desânimo nos arqueia os ombros e fazer o bem eterniza a juventude.

Na psicopatologia, a idéia fixa é um dos maiores tormentos que o sofrimento humano pode conhecer. Ela nos dá a sensação de que vai perdurar sem alívio pela eternidade. Nos "Mensageiros" de André Luiz há um "pronto socorro" de almas endiiviadads em que Espíritos estão sofrendo por séculos, num processo "anestesiante" que as idéias fixas congelaram no tempo. O esquizofrênico das clínicas de Psiquiatria convive com o martírio perturbador de idéias distorcidas. Tudo se refere a ele - nas idéias de referência: tudo está contra ele - nas idéias persecutórias e tudo está ao seu alcance - nas idéias delirantes. No entanto, a consciência do seu distúrbio o poupa do juízo e, talvez, ele nem saiba da extensão do seu destino. Não se pode dizer o mesmo de quem cometeu um crime ou o suicídio. Em "Memórias de um Suicida",

Camilo Castelo Branco revela que nada desse mundo apaga a idéia da arma que disparou no suicídio, da locomotiva que esmigalhou os ossos ou do vazio da queda no salto para a morte.

Nenhuma mãe esquecerá, também, o dia que abandonou o filho. O criminoso estará sempre preso ao cenário da culpa. O infiel sentirá a necessidade de resgatar a confiança perdida. O falsificador não fugirá da verdade que ele mesmo vai revelar e o ladrão terá que devolver cada centavo do que se apropriou. Até que o pensamento de cada um gere novos rumos e as idéias possam fluir, nenhuma consciência viverá em paz.

A idéia fixa reflete nossa própria insanidade. A Misericórdia Divina, porém, nos concedeu a bênção da inteligência e da razão que nos permite corrigir nossos erros. A vida é uma experiência que não poupará a ninguém dos desencantos, mas nem por isso devemos cultivar o remorso, conservar a culpa ou alimentar a desesperança.

* O autor, médico neurologista, Diretor do Instituto do Cérebro de Campinas

** Referência a André Luiz, autor psicografado da literatura espírita

Outras referências: livro A REENCARNAÇAO - NQ 425

Texto com direitos autorais .: Nubor Facure, endereço internet:: lfacure@uol.com.br

Em: www.ade-sergipe.com.br/sistema/upload_dir/113906_-_Idéias_Fixas.doc -

Foto - Camuflagem (para ver autoria clique na mesma - licença Creative Commons)

Veja o artigo de psicologia correspondentem aqui ou no título

terça-feira, 3 de março de 2009

Levantar-se em Espírito para viver


Você precisa levantar-se em Espírito

Uma voz que tenho ouvido bastante....




Foto: Goito - Mântova
Arquivo de Flávia Savioli.

domingo, 1 de março de 2009

Nem a pau! Nem que a vaca tussa!

Site de expressões idiomáticas de nosso cotidiano, para o ingles. Otimo!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Não esmoreças!

foto: espiritananet.blogspot.com

Assegurar lealdade ao rumo escolhido, uma frase do livro Mãos Unidas (Psicografia de Chico Xavier - Emanuel) - é um dever. Torna-se difícil, improvável, mas impossível não! Sejam quais forem os obstáculos, a fé raciocinada e viva no Pai, Aquele que tudo Vê, é tão entranhada, que a religião torna-se um adendo.
Acredito que esta foto tenha sido criada simbolizando a fé viva em Cristo de nosso querido e encantado Chico. O link do título leva a uma mensagem importante, diante da vida e acontecimentos difíceis... os quais, creio eu, só ocorrem porque Deus permite. Não é feitiçaria do mal, maldição ou algo assim. Não é para nos testar, por a prova, castigar, ou coisas mais. É para nos mostrar que, ao crermos n'Ele também nas circunstancias mais temíveis, somos acolhidos e acompanhados. Ele gosta de se fazer presente. Feliz de quem O sente!
Espero que a mensagem do site indicado console e fotaleça a você. Paz!

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Conselho Aos Jovens



Que os jovens envelheçam depressa. Que admitam acima de tudo a liberdade, acima inclusive do pão. Que não sejam marginais da condição humana, isto é, escravos consentidos. Escravidão consentida é o pior sintoma de nossa época. É preciso colocar a liberdade em primeiro lugar e neurose em segundo, porque ela é uma forma de protesto. Enfim, que a juventude seja livre e neurótica. Viver rápido. Não morrer jovem. Aproveitar cada momento. Experimentar todos os gostos. Renegar a passagem dos anos. Amadurecer. Tentar amadurecer. Ser adulto é tão chato mas necessário. Acumular histórias para contar.

Descobrir suas origens de sangue. Rir muito. Despreocupar-se sempre. Empurrar as situações com a barriga. Praia. Sol. Namorar muito. Beijar muito. Amar muito. Fazer muitos amigos. Brigar com quem não presta. Criar laços eternos. Fazer um filho. Fazer muitos filhos (todos com responsabilidade e assumidos). Usar camisinha. Proteger o coração. Respeitar o coração dos outros. Sonhar em conquistar o mundo. Sonhar em viajar o mundo. Sonhar em vender coco verde na praia. Cursar uma faculdade. Admirar um velho sábio. Amar seus pais. Amar seus irmãos. Ter um cachorro. Plantar uma árvore. Plantar pelo menos um pé de arruda que seja. Montar árvore de natal, no natal. Lavar o carro do pai. Lavar a louça para a mãe.

Dizer eu te amo para quem se ama. Juntar os caquinhos. Dançar a noite toda. Ir a um baile funk. Ir a um pagode. Ir a um forró. Ir a qualquer lugar para sentir o coração pulsar. Ir ao show de rock de sua banda predileta. Juntar trocadinhos. Montar um cofrinho. Pedir proteção a Deus. Cuidar da saúde. Ler muito. Assistir muitos filmes e chorar em alguns deles. Amar música. Contar as estrelas. Admirar um ovo (você já prestou atenção no design de um ovo? É magnífico, ninguém faria melhor.). Voar com os pés no chão. Complicar as coisas. Ralar o pára-choque do carro. Levar multas (nada impossível). Respeitar a faixa de pedestres. Respeitar a natureza. Comer pão na chapa, no bar. Pastel de feira. Pipoca de pipoqueiro de porta de igreja. Comer muito chocolate.

Respirar fundo. Purificar o chakras. Alongamentos. Fazer sexo. Fazer amor. Fazer tudo junto. Ouvir as 4 estações de Vivaldi. Prestar atenção no barulho do mundo. Aprender a tocar um instrumento. Trabalhar para conquistar. Complicar. Descomplicar. Pensar antes de falar. Abrir caminhos. Ceder os ombros para um amigo. Chorar na hora certa. Enxugar as lágrimas antes que sequem e causem danos. Uma tarde só para passear. Eleger seu canto predileto da casa, do trabalho, de tudo. Passar uma tarde na casa da avó. Respeitar os deficientes e sobretudo, amá-los. Lembrar dos mortos. Tomar cuidado com alguns vivos. Cuidar da sua vida e do seu destino. Viver!



Nelson Rodrigues
Retirado de: Entre Mulheres
Foto: Meninos no Balanço - C. Portinari, acervo infantil

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Para as filhas de meia idade




Primaveras? Foram tantas...
Memórias, bom lembrar...
Amores tamanhos e tantos
e um só coração prá guardar...

Alguém deveria escrever sobre os sentimentos que temos na madrugada. Quantas vezes o sono não chama, e se chama, ao pousar a cabeça no travesseiro, sente-se o coração doer e não há como partilhar.
Procuramos àvidamente um bilhete esquecido, um diário, algo que se acredite que trará aquela mãe do passado, em cuja sabedoria a gente descansava o coração fatigado.
Será que ela sentia isto na minha idade? Como ela lidou com este sentimento?
Quando somos jovens não sabemos o que elas sentem no íntimo, e esquecemos que um dia teremos sua idade e poderemos não estar preparadas.
Eu tenho o diário de minha mãe. Nas minhas angustias noturnas, as vezes vou meio desesperada buscar uma palavra, um sinal de sua presença. Encontro a delicadeza de uma mulher que escrevia suas dores e alegrias, sozinha, como nós também, cada qual lidando com sua intimidade como pode e quer. Acho isto muito gentil! Gostaria de poupar aos mais íntimos esta caminhada, este processo, mas sinto que ele transparece. E ninguém pode ajudar em nada, são elaboraçoes de perdas pessoais, um tanto de medo e um tanto de desproteção perante a vida. Reparações inevitáveis com a gente mesma.
Imagem google: wind9.blogspot.com

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Identidades e conflitos

As conflituosas identidades nacionalistas, religiosas
e étnicas no Oriente Médio *

A identidade no Oriente Médio envolve nacionalidade, etnia e religião. Em alguns casos, a denominação da nacionalidade e da etnia é a mesma.A nacionalidade pode ser egípcia, síria, israelense, palestina, libanesa, iraniana, iraquiana, marroquina, turca, curda, iraniana e saudita por exemplo. A etnia pode ser turca, árabe, persa e curda. A religião pode ser judaica, cristã e islâmica. Dentro delas, há subdivisões, como maronitas, assírios, melquitas e ortodoxos para o cristianismo, sunitas, xiitas e alauítas para islamismo. Os conflitos na região envolvem estas identidades, como é o caso da disputa israelo-palestina. Os palestinos são os árabes não-israelenses que são descendentes ou nasceram no que hoje é Israel, Cisjordânia e faixa de Gaza. Eles podem ser cristãos (em geral ortodoxos), muçulmanos (quase todos sunitas) e drusos. Logo, ser palestino implica ser etnicamente árabe, mas não necessariamente muçulmano. Muitos líderes palestinos são cristãos. Os israelenses são judeus em sua maioria, mas podem ser também muçulmanos, drusos e cristãos, além de outras minorias. A etnia é variada, pois há judeus oriundos de diversas regiões do mundo que imigraram para Israel. Inclusive alguns nativos da Terra Santa, que são tão árabes como qualquer palestino. O judaismo é uma religião, não uma etnia, assim como o cristianismo e o islamismo. Ser israelense não implica pertencer a uma etnia ou a uma religião. O conflito entre os dois lados envolve as três identidades, mas acima de tudo a nacionalista. Dizer que palestinos ou israelenses lutam por questões religiosas apenas é um erro. No Iraque, dizemos muitas vezes que o conflito envolve sunitas, xiitas e curdos. Na verdade, o correto seria afirmar árabes-sunitas, árabes-xiitas e curdos-sunitas. Afinal, os curdos compartilham do mesmo ramo do islamismo de Saddam Hussein e da Al Qaeda. A diferença é que Saddam era árabe e eles, etnicamente, curdos. Há ainda um complicador. Os curdos se enxergam como uma nação distribuída entre a Turquia, Irã, Iraque e Síria. Portanto, além de etnia, curdo também é uma nacionalidade sem Estado, como os palestinos. Portanto, no Iraque, a disputa engloba religião, etnia e nacionalidade. Já no Líbano, o conflito é sectário somente. A nacionalidade e a etnia são as mesmas. Todos são libaneses e árabes, apesar de alguns cristãos maronitas insistirem que são fenícios. A diferença entre os libaneses é religiosa. Um libanês pertende a um de 18 diferentes ramos religiosos. Vale, porém, uma observação - há, no Líbano, armênios (que não são árabes) e palestinos (que não são libaneses), mas eles não estão envolvidos diretamente no atual conflito.Algumas destas identidades surgiram apenas no começo do século 20.Até a Primeira Guerra Mundial, toda esta região era parte do Império Otomano. Não existia Síria, Israel, Líbano ou Iraque. As divisões e unificações (caso do Iraque) posteriores acabaram por produzir este novo sentimento de identidade nacional, que é o israelense, palestino, jordaniano, sírio e libanês. Hoje, no Líbano, nenhum grupo religioso defende, por exemplo, a unificação com os sírios. Aliados e opositores de Damasco, membros da coalizão 14 de Março ou do Hezbollah, todos os libaneses sempre carregam a bandeira dos cedros em manifestações.

*Jornalista Gustavo Chacra, Mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia de Nova York.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

A Passagem do Ano

Clique e veja as fotos

Reflexão para o ano novo

"As reviravoltas das abelhas, tão rápidas e incoerentes, parecem desenhar no espaço figuras matemáticas precisas e constituem uma linguagem. Idealizo escrever um romance no qual todos os encontros que um homem tem durante a sua existência, fugazes ou importantes, conduzidos por aquilo a que chamamos o acaso, ou pela necessidade, desenhassem igualmente figuras, exprimissem ritmos e fossem o que talvez sejam: um discurso sabiamente planeado, dedicado a uma alma para que se realize totalmente, e de que esta não apreende, ao longo da vida, mais do que algumas palavras sem continuidade. Por vezes julgo abranger o sentido deste bailado humano à minha volta, adivinhar que alguém me fala através do movimento dos seres que se aproximam, se detêm ou se afastam. Depois perco o fio à meada, como toda a gente, até à próxima grande e no entanto fragmentária evidência."

( Despertar dos Mágicos - prefácio - I)

Sociable