Citação

"A felicidade não lhe é proporcionada por ninguém.
Ela encontra-se somente no próprio esforço
Em revelar o tesouro das profundezas de sua vida, e
se poli-lo cuidadosamente,
Desenvolverá a coragem e a esperança,
Ao longo do caminho."

Pensamento budista - Referência: Sandro Ribeiro


domingo, 11 de julho de 2010

Aniversários

Tem gente que gosta de festa, outras pessoas preferem algo reservado. Eu não me defini, e deixo a vida me levar. Julho é um mês festeiro, temos várias pessoas cumprindo anos. Minha prima, minha cunhada, maridinho, amigas, Dona Doracy, eu mesma, sogro, vovô Lima, vovó Maricota (In Memorian), cunhada Gô, e acho que só. Então fico observando o andar da vida. O aniversário traz questoes íntimas que podem ou não ser aprofundadas. Nem sempre vale a pena pensar nisto. O importante deveras é cumprir o ritual alegre e soberanamente. 'Como mandam os poetas'.... e sábios.
Penso em como encarava os aniversários na infancia e juventude. Era sempre uma festa interior. Ainda é. Mas ainda gosto mais do Reveillon...
Mas como é importante cumprimentar os aniversariantes... Adoro! Meus melhores desejos para as pessoas lunáticas, poetas, místicas, 'caretas' e maravilhosamente apaixonadas de julho.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

'Enterre os mortos, cuide dos vivos e feche os portos'

TERREMOTOS

Dizem que passado o terremoto de Lisboa (1755),
o Rei perguntou ao General o que
se havia de fazer.
Ele respondeu ao Rei:
'Sepultar os mortos,
cuidar dos vivos e fechar os portos'.

Essa resposta simples,
franca e direta tem muito
a nos ensinar.

Muitas vezes temos em nossa vida
'terremotos' avassaladores,
o que fazer?
Exatamente o que disse o General:
'Sepultar os mortos,
cuidar dos vivos e fechar os portos'.

E o que isso quer dizer para a nossa vida?

Sepultar os mortos significa que não adianta
ficar reclamando e chorando o passado.
É preciso 'sepultar' o passado.
Colocá-lo debaixo da terra.
Isso significa 'esquecer' o passado.
Enterrar os mortos.

Cuidar dos vivos significa que,
depois de enterrar o passado,
em seguida temos que cuidar do presente.
Cuidar do que ficou vivo.
Cuidar do que sobrou.
Cuidar do que realmente existe.

Fazer o que tiver que ser feito para
salvar o que restou do terremoto.

Fechar os portos significa não deixar as
'portas' abertas para que novos
problemas possam surgir ou
'vir de fora' enquanto estamos
cuidando e salvando o que restou
do terremoto de nossa vida.
Significa concentrar-se na reconstrução,
no novo.
É assim que a história nos ensina.
Por isso a história é 'a mestra da vida'.
Portanto,
quando você enfrentar um terremoto,
não se esqueça:
enterre os mortos,
cuide dos vivos e feche os portos.

Recebi por e-mail, desconheço a autoria.

Sociable