Citação

"A felicidade não lhe é proporcionada por ninguém.
Ela encontra-se somente no próprio esforço
Em revelar o tesouro das profundezas de sua vida, e
se poli-lo cuidadosamente,
Desenvolverá a coragem e a esperança,
Ao longo do caminho."

Pensamento budista - Referência: Sandro Ribeiro


terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Reflexão para a Vida



Senhor da Vida,
Abençoa-nos o propósito
De penetrar o caminho da Luz!...

Somos Teus filhos,
Ainda escravos de círculos restritos,
Mas a sede do Infinito
Dilacera-nos os véus do ser.

Herdeiros da imortalidade,
Buscamos-Te as fontes eternas
Esperando, confiantes, em Tua misericórdia.

De nós mesmos, Senhor, nada podemos.
Sem Ti, somos frondes decepadas
Que o fogo da experiência
Tortura ou transforma...

Unidos, no entanto, ao Teu Amor,
Somos condicionadores gloriosos
De Tua Criação interminável.

Somos alguns milhares
Neste campo terrestre;
E, antes de tudo,
Louvamos-Te a grandeza
Que não nos oprime a pequenez...

Dilata-nos a percepção diante da vida,
Abre-nos os olhos
Enevoados pelo sono da ilusão
Para que divisemos Tua glória sem fim!...
Desperta-nos docemente o ouvido,
A fim de percebermos o cântico
De tua sublime eternidade.
Abençoa as sementes de sabedoria
Que os teus mensageiros esparziram
No campo de nossas almas;
Fecunda-nos o solo interior,
Para que os divinos germens não pereçam.

Sabemos, Pai,
Que o suor do trabalho
E a lágrima da redenção
Constituem adubo generoso
A floração de nossas sementeiras;
Todavia,
Sem Tua bênção,
O  suor elanguesce
E a lágrima desespera...
Sem Tua mão compassiva,
Os vermes das paixões
E as tempestades de nossos vícios
Podem arruinar-nos a lavoura incipiente.

Acorda-nos, Senhor da Vida,
Para a luz das oportunidades presentes;
Para que os atritos da luta não as inutilizem,
Guia-nos os pés para o supremo bem;
Reveste-nos o coração
Com a Tua serenidade paternal,
Robustecendo-nos a resistência!
Poderoso Senhor,
Ampara-nos a fragilidade,
Corrige-nos os erros,
Esclarece-nos a ignorância,
Acolhe-nos em Teu amoroso regaço.

Cumpram-se, Pai Amado,
Os Teus desígnios soberanos,
Agora e sempre.
Assim seja.

Enviado por prof. Carlos Eduardo Cennerelli, esta prece está incluida em um texto de Weimar Muniz de Oliveira, presidente do Lar de Jesus, vice-presidente da Associação Brasileira dos Magistrados Espíritas e diretor da Feego, intitulado 'Ascendente Espiritual na Terra'. Não tenho a referencia na internet, e trata dos problemas humanos globais (inclusive os discutidos em Copenhagen). Recomendo que o busquem, a fim de entender o que ocorre de forma amadurecida.


Breve degustação




Não é difícil de perceber a ascendência do princípio espiritual sobre o princípio material. A Filosofia e a Religião, ao lado da pesquisa científica, demonstram que o mundo espiritual prevalece sobre o mundo material. E mais: o primeiro governa o segundo, ditando-lhe as normas, os fenômenos e os fatos históricos mais evidentes, que nem sempre são registrados com fidelidade pelos anais terrenos.
O homem, filho de Deus, é espírito, em essência. Enverga e tem envergado, ao longo se sua trajetória, um corpo carnal, com vistas à sua evolução espiritual e à sua integração com as leis da natureza: leis divinas.
Na sua caminhada infinita, rumo à perfeição, tem necessidade da luta ingente na matéria densa, a fim de aprender e experimentar, adquirindo, com o tempo, maior sensibilidade e saber, na continuidade de sua jornada, em demanda a planos cada vez mais sutis da vida, até atingir o estágio que o habilite a conhecer-se a si mesmo e impor-se sobre a matéria.
Para isso atingir, com o passar das eras, a partir do princípio de sua razão e livre-arbítrio bruxuleantes, tem ele que se submeter à dor e aos embates persistentes das formas mais grosseiras.
Filho de Deus que é, caminhará cada vez mais resoluto em busca do abstrato, através do intelecto e do sentimento, eis que nada é mais abstrato, nada é mais intelecto e amor do que Deus, o seu Criador e Pai, Causa das Causas. O homem, diamante ainda bruto, de tríplice aspecto, átimo de luz da Gema Central, errará por vales e montes, até que, um dia, brilhe em toda a sua capacidade e vigor, depois que o tempo, lapidário insubstituível, o devolver, garboso e ofuscante, ao seu "habitat", ao convívio do seu Divino Autor.
Enquanto persistir o seu transladar pelos ambientes densos da crosta, guiar-se-á com as forças intrínsecas de si mesmo, sem embargo da presença constante de seu guardião, que o acompanhará sempre, à conta do Altíssimo. Mas, em essência, é a luz, vacilante ainda, destacada do foco Central, com amor. Por isso mesmo, essa luz, ou ele próprio, o homem é o que pensa, ordena comanda, acionando a vontade. A luz, o EU, ordena, o perispírito transmite a ordem ao corpo e este a executa.
Nessa tríade – espírito, perispírito e corpo físico – consubstancia-se o homem, enquanto em experiência no corpo denso, até que, um dia, na sua plenitude espiritual, não mais terá de se sujeitar à roda trepidante e repetitiva das experiências planetárias.
Há, pois, uma ascendência natural do espírito sobre a matéria, submetendo-a e governando-a. Do mesmo modo, o mundo espiritual exerce irresistível influência e governo sobre os mundos físicos. Frise-se, aliás, que os mundos físicos existem em função do espírito, em razão da necessidade que tem o espírito de experimentar e evolver. O físico pressupõe a existência do espiritual, assim como a sombra reconfortante pressupõe a existência da árvore frondosa. 
...[...]...





segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Na minha casa tem uma brabuleta


Quando se tira de letra ou troca letra
corre-se o risco de
ficar com a cara do Holtelino Tlocaletla
ou no mínimo
meio descamisada no meio da rua
fazendo inventário da maldade alheia.


De toda maneira, a mudança tem lá seus meandros
e há que se perceber bem seus caminhos .


Ninguem espera grandes acontecimentos em dezembro:
o mes dos cheiros, cores, fotos, encontros
Este meu dezembro começou de mansinho, no meio do cotidiano


Mas minha borboleta, a que eu ganhei de repente
fixou sua presença na sala, inevitável e delicadamente...
Mesmo que toquem trombetas, ou que se mude ou feneça
sente-se que o amor é agora, inda assim
uma cinestésica presença no meio das luzes  - campinenses.

Ps.: Alguem sabe algo do Holtelino? Saudade dos quadrinhos... 
















Sociable